Diga não ao Bullying

Olá gatinhas e gatonas. Tudo certinho??
Bom o meu ano de 2013 está ótimo, tanta coisa acontecendo e olha que legal entrei na universidade minhas lindas! Mas, isso é assunto para outro post.
Enfim, não muito tempo atrás, fiz um post falando sobre ser você mesmo, que não é necessário ser sempre bonito pra ser feliz, basta ser você mesmo. Agora, o problema é quando a sua felicidade de ser você mesmo incomoda os outros, principalmente na escola, cursinho e faculdade e eles resolvem praticar o “Bullying”.
Bullying é uma situação que se caracteriza por agressões intencionais, verbais ou físicas, feitas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas. O termo bullying tem origem na palavra inglesa bully, que significa valentão, brigão. Mesmo sem uma denominação em português, é entendido como ameaça, tirania, opressão, intimidação, humilhação e maltrato.
Fonte: Revista Escola

Só quem sofre com essas humilhações sabe como é doloroso e triste.
No ensino médio, pintei o meu cabelo de loiro me senti a Beyoncé da família. Nunca me senti tão linda. Isso era em um sábado a tarde.
Quando chegou a segunda-feira fui para escola e sentindo nas alturas, trabalhada na chapinha e maquiagem. Estava com a minha auto-estima lá nas alturas. Mas quando cheguei na escola o meu pesadelo começou, logo de cara começaram a rir da minha cara, me chamaram de mico leão dourado, estranha, fiquei chateada mas, continuei de cabeça erguida. Até que chegou a hora do recreio quando todo o turno matutino entrou na minha sala. De repente, uma menina com o dobro do meu tamanho que nunca tinha visto na escola, parou na frente da minha sala, bateu na minha mesa e falou:
- Olha aqui piranha, “cê” ta achando que tá linda? Eu vou quebrar a sua cara e porque você é uma piranha isso sim. Espera até a hora da saída.
Na hora da saída, a escola toda reunida para ver o “ser estranho de cabeça amarela”. Eu nunca corri tanto. Cheguei em casa segurei o choro e disse para a minha mãe que tava tudo bem.
Durante meses me humilharam na escola me atiravam borracha, bolinhas de papel puxavam o meu cabelo e até tentaram me jogar chiclete mascado.
Tentei ignorar, não ligar, respondi, chorei, me humilhei pedindo para parar. Por fim escureci o cabelo e fui para escola, vocês acreditam que continuaram? O primeiro comentário que escutei foi:
- Não é porque você pintou o cabelo que vamos esquecer e vamos parar de te zuar.
A pressão foi tanta que minhas notas caíram, fiquei de prova final, não aguentei. Por falta de informação e medo de que as agressões pudessem ficar piores pedi para a minha mãe me mudar de escola. Ela linda e compreensiva até me mudou de escola, mas como a outra escola era perigosa, voltei para o Godofredo em outro horário. Meu cabelo não suportou a mudança e começou a cair então cortei o cabelo.
Esse é o resumo do meu 2º ano. A minha história terminou assim, mas podia ter sido diferente, poderia ter me matado ou pegado uma arma e matado alguém, como acontece pelo mundo.
Se você que tá lendo, sofre o bullying ou é o idiota sem cérebro que faz isso (queria te xingar, te espancar muito, mas não, eu sou educada e não gosto de violência), esse tipo de atitude é crime previsto por lei federal.
Enfim, Eu to aqui pra dizer que o bullying não é legal e se você estuda como eu, presta bem a atenção e respeite a todos como gostaria de ser tratado. Agora, se mexerem com você ou ver algum tipo de atitude que parece ou veja bullying não fica calado e faça o certo a ser feito.
Eu sou contra o bullying, apoie essa causa você também!

0 comentários:

Postar um comentário